07/12/2011

Passeios Incógnitos


 Era uma tarde chuvosa e no momento não estava atenta.
Eros passou despercebido...
A libido se fora com a canção.
Efêmeros cansados fizeram uma festa!
Não sei por que fui e brindei com os deuses insensatos...
Mas vi Psique e Narciso nos reflexos de um velho espelho meu...
E cansada, menos que Prometeu...
Gigantes deuses dissolveram-se.
Na meia luz do meu quarto, cercada das incógnitas sombras...
Pulsa alma, calma, ócio e solidão.
Quase em desespero acordo livre...
Distante de todas as lembranças e paixões!
 Alba Simões

12 comentários:

  1. Nossa amiga... que intenso! "Pulsa alma, calma, ócio e solidão. Quase em desespero acordo livre...
    Distante de todas as lembranças e paixões!"
    Sabe que é assim que me sinto neste momento! Sóbria, livre, desperta de lembranças e paixões que ficaram na volúpia do tempo que não tem volta!
    Amei muito.....
    Beijo no coração

    ResponderExcluir
  2. Alba,

    Quantas sensações em meio a liberdade da alma,talvez em conflitos , que é despertada por lembranças, de uma paixão, de um momento de um sentimento forte, que ficaram pra traz...

    Muito lindo...

    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Anônimo15:57

    Oi, Alba. Adorei seu poema, trazemos em nós um pouquinho da característica dos deuses citados. Cada um deixa sua marca, e ao mesmo tempo, tudo passa. Um abraço!

    ResponderExcluir
  4. Lindo Alba,

    A sensação de liberdade que é proporcionada pela vida devida e vivida. Sem culpas, sem pendências.

    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Muito lindo, gostei muito.

    ResponderExcluir
  6. Anônimo21:57

    Oi Alba

    estes gigantes deuses com promessas de olimpo, lampejam por vezes, e porque não?

    As liberdades que a razão propõem se contentam com a mortalidade e a simplicidade do ser só, o que nunca será ser solitário.

    Foi a maior maravilha passear com você pelos montes mitológicos e descer à terra conduzida pelas suas letras significantes.

    Belíssimo!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  7. @Valéria
    Querida amiga e poetisa.
    Seu comentário descreve exatamente todo sentimento que este poema revela!
    Obrigada por belíssimas palavras deixadas aqui!
    Beijos com carinho!

    ResponderExcluir
  8. @Cecília
    Realmente,amiga!
    Adorei sua presença,e a interpretação sensivel deste singelo poema!
    Obrigada querida!
    Beijos com carinho!

    ResponderExcluir
  9. @Bia
    Concordo, realmente a efemeridade não vem distinguir nem os deuses, nem simples mortais!
    Obrigada por prestigiar.
    Beijos

    ResponderExcluir
  10. @José.
    Meu amigo, esta sensação tem seu preço, mas vale a pena pagar para obte-la!
    Obrigada pela presença e sábio comentário!
    Beijos

    ResponderExcluir
  11. @Fátima
    Olá amiga.
    Obrigada por prestigiar!
    Beijos

    ResponderExcluir
  12. @Van
    Seu comentário revela toda sensibilidade que há em você!
    Muito obrigada pela maravilhosa interpretação e presença!
    Beijos com carinho!

    ResponderExcluir