16

O Teatro Brasileiro e a Censura

26/08/2011 .

Na década de 70 a censura imposta pelo governo militar chega ao auge. Os autores são obrigados a encontrar uma linguagem que drible os censores e seja acessível ao espectador.
Nessa fase, surge toda uma geração de jovens dramaturgos cuja obra vai consolidar-se ao longo das décadas de 70 e 80:
Destacamos os autores abaixo relacionados e suas respectivas peças que tiveram seus textos tolhidos pelas ordens ditatoriais:
Mário Prata (Bésame mucho),
Fauzi Arap (O amor do não),
Antônio Bivar (Cordélia Brasil),
Leilah Assunção (Fala baixo senão eu grito),
Consuelo de Castro (Caminho de volta),
Isabel Câmara (As moças),
José Vicente (O assalto),
Carlos Queiroz Telles (Frei Caneca),
Roberto Athayde (Apareceu a margarida),
Maria Adelaide Amaral (De braços abertos),
João Ribeiro Chaves Neto (Patética),
Flávio Márcio (Réveillon),
Naum Alves de Souza (No Natal a gente vem te buscar)
Não poderíamos deixar de citar obras que também marcaram esta época:
Como as montagens feitas, em São Paulo, pelo argentino Victor García: ''Cemitério de automóveis'', de Fernando Arrabal, e ''O balcão'', de Jean Genet.
Quando nesta última, ele chega a demolir internamente o Teatro Ruth Escobar para construir o cenário, uma imensa espiral metálica ao longo da qual se sentam os espectadores. 
Nas próximas semanas estaremos publicando vídeos sobre estes espetáculos, edição de reportagens, trechos destas maravilhosas obras e seus respectivos autores.
Quem quiser colaborar com a edição desta série e possua algum material inédito ou mesmo já veiculados sobre estas peças teatrais, pedimos que entrassem em contato.
Pois é de relevante importância para o resgate e a divulgação da nossa memória cultural!
A proposta estará aberta até o final do mês de Setembro para possíveis colaboradores.
Em retribuição divulgaremos os seus links ou sites.
E também empresas e eventos, profissionais da área artística, como forma de agradecimento!
A nossa Historia, a nossa Arte e a nossa Cultura é o grande patrimônio que devemos preservar para as gerações futuras!
By Arte e Café

16 Comentários:

Jackie Freitas disse...

Oi minha querida amiga!
Graças a Deus não vivi nessa época! Acho que seria uma rebelde e revolucionária e, quem sabe, estaria nessa lista...rsrs...
Acho super importante que as pessoas saibam sobre essa época e que quem a viveu, relembre... Realmente a nossa história, arte e cultura são patrimônios ricos e que devem ser preservados! Para as gerações futuras ou até mesmo para a atual, uma mostra sobre riquezas que foram censuradas por ignorantes que faziam do poder suas egoísticas vontades!
Grande beijo, minha linda!
Jackie

Alba Simões disse...

Querida amiga Jackie.
Esta é apenas uma pequena amostra de peças e autores que tiveram suas idéias e liberdade de expressão e criação tolhidas pelas regras ditatoriais.
Pois temos uma lista bem mais abrangente envolvendo compositores, outros dramaturgos, pensadores...
Impossível citar todos!
Realmente estes anos dourados, não foram tão brilhantes assim...
No que se diz respeito ao terrível boicote que vários artistas sofreram.
Muito obrigada pela estimada presença e comentário!
Beijos com Carinho!

Beth Muniz disse...

Alba querida,
Que bela travessia...
Esta idéia é realmente fantástica.
Relacionar arte e cultura com os tempos de censura e repressão, é resgatar literalmente a nossa história.
Rever imagens de mulheres fantásticas como Odete Lara, Norma Benguel (as outras não reconheci) não tem preço.
Mostrar para os mais jovens, e os nem tanto, a origem da nossa liberdade de criação e produção atual é fundamental para que entendam que nada surge “do nada”. É tudo história, e como tal deve ser conhcida e preservada. Grande sacada!
Gostaria de ver um post sobre a peça musical Liberdade, Liberdade, de Flávio Rangel e Millôr Fernandes. Tenho algum material em CD, com encarte. Posso te mandar. Mas deve ser por outro meio, pois o arquivo é grande. Se desejar, nos falamos por e-mail.
Não sei de que forma posso colaborar. Mas farei um esforço.
Parabéns querida, por ser essa pessoa comprometida com as artes, com talento e seriedade.
Um grande beijo.
Obrigada!

Alba Simões disse...

Beth querida!
Obrigada por incentivar esta série de publicações.
Uma excelente sugestão, claro que vou pesquisar sobre esta grande obra da nossa dramaturgia: Liberdade, Liberdade, tem tudo haver com o contexto desta proposta.
Grande idéia!
Se puder mandar qualquer material, será muito bem vindo!
E agradeço antecipadamente seu empenho e colaboração!
Beijos com carinho!

Dú Pirollo disse...

Minha querida amiga Alba, boa noite!!!
Minha amiga, censura em cultura e meios de comunicação é um horror, uma mancha negra na história de qualquer país, é o verdadeiro abuso do poder dos inescrupulosos e autoritários...
Bela iniciativa tentar resgatar a nossa memória cultural, afinal, ela faz parte de nossa história, da nossa vida e da arte.
Parabéns pela sua incansável luta em defesa de nossa arte cultural, que Deus lhe dê sempre muita força para continuar neste caminho!!!
Vou ficar torcendo para que encontre bastante material inédito, boa sorte!!!
Parabéns por mais esta maravilhosa postagem!!!
Tenha uma noite maravilhosa e abençoada!!!
Beijos com muito carinho e muita paz!!!

Alba Simões disse...

Querido amigo Dú.
A proposta é mostrar para as gerações que não vivenciaram esta difícil época da repressão militar!
Destacando a coragem que vários artistas tiveram em enfrentar a terrível mordaça imposta pela censura.
Um tempo que nos tolhia toda a liberdade de expressão!
Sou extremamente grata a sua presença, e palavras motivadoras do seu comentário!
A intenção deste projeto é exatamente esta.
Resgatar a história e a memória cultural da dramaturgia brasileira!
Sou muito grata pelo apoio e incentivo que sempre traz aqui!
Muita paz e uma semana repleta de felicidades!
Beijos com carinho!

LeMarc disse...

Oi, querida amiga Alba! Muito legal viajar um pouco na nossa história. Essa questão da ditadura é um tanto quanto complexa. Qualquer hora conversamos um pouco mais sobre ela.
Grande Abraço!
LeMarc

lisonlisononline disse...

Saudações!
Amiga ALBA SIMÕES:
Eu fiquei muito feliz por sua iniciativa em homenagem tão ilustres dramaturgos e artistas que deram suas vidas em prol de melhores dias a todos os brasileiros. Para tanto, envidaram esforços varando madrugadas criando obras de arte porque acreditaram num país muito melhor e mais humano.
Muito lindo o seu Post e tudo farei para acompanhar as demais publicações.
Meus parabéns!
Abraços,
LISON.

manoel disse...

O governo militar do Brasil foi violento em todos os sentidos, e quem quizer conhecer um pouco é só ler (1968, O ano que não terminou) de Zuienir Ventura.
Parabéns pela postagem!

Valéria Braz disse...

Oi Alba que saudade amiga.... hoje consegui um tempo pra passar na "casa" dos amigos do coração pra um cafézinho...heheheh
E sabe que adorei o nosso papo? Resgatar a cultura é algo que falta neste país... contar nossa história é entender nosso momento!
Bela iniciativa,que aliás partindo de você não é inciativa é ação!
Fiz teatro e sei da importância desta época na dramaturgia brasileira!
Amiga, volto pra outra cafézinho assim que puder!
Saudade viu?! Continuo sendo sua fã de carterinha!
Beijussssss

Alba Simões disse...

LeMarc
Seja bem vindo.
Sou muito grata por prestigiar este espaço e o artigo!
Obrigada pela presença e por registrar sua opinião.
Grande abraço!

Alba Simões disse...

Caro amigo Lison
Sou muito grata pela sua presença e comentário!
Sempre nos incentivando as publicações e o aprimoramento deste espaço.
Grande abraço!

Alba Simões disse...

Manoel.
Concordo plenamente!
Época cruel em todos os sentidos!
Obrigada pela presença, comentário e pela excelente dica de leitura sobre o tema!!
Grande abraço.

Alba Simões disse...

Querida Valéria.
Sempre bom recebê-la para um bom papo e o café!
Você sempre enriquece este espaço e os temas aqui abordados, com sua sensibilidade e sabedoria!
É sempre uma honra receber sua visita e seus excelentes comentários!
Muito obrigada grande poetisa e amiga!
Beijos com carinho

fábio siebra disse...

Olá Alba

Esse resgate é muito importante para que as futuras gerações compreender essa época muito criativa de nossa artista,mas muito obscura perante o regime que imperava nesse País e ainda tem gente que o defende dizendo que foi uma ditabranda. Somente que vivenciou aquela época é que pode relatar perfeitamente isso.

Um Abraço

Alba Simões disse...

Olá Fábio!
Concordo em todos os aspectos com sua oportuna opinião sobre o tema!
Muito a resgatar de uma época obscura em contrapartida construiu-se nela um vasto e rico acervo cultural!
Esta é nossa intenção.
Mostrar a história e preservar a riqueza da nossa arte!
Obrigada pela presença e valoroso comentário!
Grande Abraço!

Postar um comentário

MyFreeCopyright.com Registered & Protected



 
▲ Voltar ao Topo