9

Do tempo que eu era ainda criança

12/10/2011 .

FONTE DA IMAGEM :http://blog.gustavofernandez.com/2009/07/edmond-children-photography-oklahoma-julie-tucker/

Eu hoje tive um pesadelo 
E levantei atento, a tempo
Eu acordei com medo
E procurei no escuro
Alguém com o seu carinho
E lembrei de um tempo

Porque o passado me traz uma lembrança
Do tempo que eu era ainda criança
E o medo era motivo de choro
Desculpa pra um abraço ou consolo

Hoje eu acordei com medo
Mas não chorei, nem reclamei abrigo
Do escuro, eu via o infinito
Sem presente, passado ou futuro
Senti um abraço forte, já não era medo
Era uma coisa sua que ficou em mim
E que não tem fim

De repente, a gente vê que perdeu
Ou está perdendo alguma coisa
Morna e ingênua que vai ficando no caminho
Que é escuro e frio, mas também bonito porque é iluminado
Pela beleza do que aconteceu há minutos atrás...
Poema  Ney Matogrosso,Frejat, Cazuza
Que a criança que há em cada um de nós, esteja sempre presente.
 Iluminando  a beleza de todas as fases das nossas Vidas!
By: Arte e Café

9 Comentários:

Caroll disse...

Lindo texto!!
A criança que está dentro de nós que traz luz e alegria aos nossos dias!
Abraço

Alba Simões disse...

@ Caroll
Nunca devemos perder esta nossa essência iluminada da criança que existe e vive em nós!
Sempre existirá esperanças para um mundo melhor!
Obrigada pela sua participação e carinhoso comentário!
Abraços

Beth Muniz disse...

Olha só!
Que bela dupla, em todos os sentidos.
E, "quem sabe eu ainda sou uma garotinha, sempre com a minha meia 3/4, esperando o ônibus da escola..." rsrsrs
Beijo minha querida.
Querida amiga,
Ah! Não tenho recebido por e-mail as suas postagens.
Não sei o que há.

Alba Simões disse...

@Beth querida!
Adorei,bem lembrado!
Esta música se encaixa perfeitamente neste post!
Obrigada pelo comentário!
Sobre o feed está sendo reconfigurado,pelo novo endereço do Arte!
Espero que normalize em breve as assinaturas via e-mail!
Beijos

Jornal do Mestre disse...

É sempre bom ler textos edificantes como este.
Parabéns pelo site! Estou te segunnido e favoritei seu site para voltar aqui sempre.

Abraços Flávio
(Jornal do Mestre)

Alba Simões disse...

@Flávio ( Jornal do Mestre )
Seja bem vindo,volte,sempre!
Obrigada pelo elogio aos textos e pela sua presença!
Grande abraço!

Sissym disse...

Alba,

Lendo isso, tão leve, tão bonito... senti tanta saudade de minha filha, se pudesse, dava um abraço nela agora! Só me fez lembrar tantas "estorinhas de contornos" para falar de alguma situação de insegurança!

Beijos

Alba Simões disse...

@ Sissym
O que dizer...
A vida tem estes contornos,mas há belezas que sempre nos revelam estes momentos inesquecíveis!
Beijos com carinho!

memoriasdelucinha disse...

‘’Diante dos nossos medos e fracassos deixemos a criança do nosso interior buscar na brecha do tempo as nossas memórias de esperança que ficaram no passado’’, pois der repente não mais e um minuto já era então renovemos o presente e sigamos em frente no sustento de nossos sonhos enraizados em nossas lembranças...

Postar um comentário

MyFreeCopyright.com Registered & Protected



 
▲ Voltar ao Topo