10

De Braços Abertos: Maria Adelaide Amaral

17/09/2011 .
 “O Teatro Brasileiro e a Censura": 3ª Edição
Dando continuidade a série, selecionamos a peça: De Braços Abertos, 1984  homenageando um grande ícone da Dramaturgia Brasileira: Maria Adelaide  Amaral.
Autora de várias  obras literárias e teatrais de sucesso que inclui 14 peças.
Das quais se destacam: Resistência, 1974 que foi sua estréia profissional nos palcos; Bodas de Papel, 1976 (recebendo os prêmios Moliére, Ziembinsky, Governador do Estado e da Associação dos Críticos de Arte na categoria melhor autor nacional); Chiquinha Gonzaga, 1982; De Braços Abertos, 1984 e Querida Mamãe, 1994; todas vencedoras do Moliére de melhor autor nacional.
A Resistência reproduz o ambiente de redação de uma revista em decadência, na qual a autora trabalhava, tendo como pano de fundo o clima político de 1970. A peça se desenvolve em um único dia de trabalho, sugerindo duas realidades complementares, as angústias, esperanças, descontentamentos dos jornalistas em relação à empresa, à carreira, ao cotidiano e à atmosfera de repressão política e cultural, cuja realidade se impõe de maneira indireta, mas indisfarçável. 
Em De Braços Abertos, Maria Adelaide Amaral soube muito bem captar estas recentes conquistas das mulheres, que provocavam tanto desconforto nos homens daquela geração. Tendo como pano de fundo – e não passando disso – ecos do momentopolítico anterior ao do tempo do texto teatral, fins da ditadura militar no país, a dramaturga desdobra os poucos acertos e muitos erros de um casal cujo maior problema residia na independência de Luísa e na não aceitação dessa mulher emergente por
Sérgio Vincenzo ainda destaca a importância dada a psicologia das personagens e como ela também foi muito bem recebida (e recomendada) por psicólogos  e psicanalistas a casais com problemas em seus relacionamentos. 
Seguindo esse traço psicológico da relação entre Sérgio e Luísa, Ana Lúcia de Andrade ressalta como a ação do texto se concentra toda no “(des) encontro do casal”.
“Tudo gira em torno do problema de como se maneja a afetividade em uma cultura que parece negá-la”. Desse modo, Andrade coloca uma outra questão que é somada a nova mulher emergente de que fala Vincenzo em sua crítica a respeito das mulheres independentes. Essa questão se deve ao fato de tanto Sérgio, como também Luísa não assumirem profundamente a relação, nem socialmente, pois continuam amantes, nem emocionalmente, já que passam boa parte se seu tempo juntos “disparando farpas” um contra o outro.
"De Braços Abertos aponta mais uma vez para as dificuldades de relacionamento dos seres humanos. No caso, um amor ameaçado pelo ciúme, a frustração, as diferenças de classe social, e envolto num clima de permanentes provocações e desavenças, acirrando o sofrimento recíproco."
De Braços Abertos é considerada até hoje a mais bem-sucedida montagem de um texto de Maria Adelaide Amaral. Foi bastante comentada e resenhada pela crítica teatral e também literária. O crítico teatral Sábato Magaldi quando da realização do espetáculo,disse que : De Braços Abertos tem a virtude de fazer uma análise paradigmática da relação de um casal, consumida pelos desajustes inevitáveis. Transcende as circunstâncias específicas de um caso amoroso, para dar-lhe um cunho genérico, interessando a quaisquer espectadores que um dia tiveram uma experiência semelhante. Pelos seus valores humanos e artísticos.
A peça elevou Maria Adelaide ao primeiro plano da  dramaturgia brasileira.
O texto teatral de De Braços Abertos tem uma trama centrada na relação entre o casal, seja no passado da relação vivida, seja no presente do reencontro depois de cinco anos. Toda a ação se dá a partir das experiências vividas por Sérgio e Luísa. Embora a perspectiva seja feminina, da “visão de uma mulher não integrada ao sistema patriarcal”
O interesse central da peça se dá na vida íntima de um casal de amantes e sua relação com o amor que sentem um pelo outro. Dessa forma, mesmo sendo o ponto de vista de Luísa claramente predominante, o olhar de Sérgio “vaza” através dos diálogos e, principalmente, de seus solilóquios. Portanto, em De Braços Abertos, tanto Luísa quanto Sérgio, têm o poder de defender seu ponto de vista e dar seu testemunho do que foi o relacionamento do casal de amantes um para o outro. O passado e o presente vão se revezando, mostrando o casal nos tempos da relação e seu reencontro (sem reconciliação) cinco anos depois.
Recomendamos que você assista o vídeo da entrevista com a Autora, Dramaturga e Novelista: Maria Adelaide AmaralOnde ela fala da sua vida, o começo da sua carreira de escritora, suas técnicas para escrever e a inspiração para a criação de seus personagens.

Para conhecer a Biografia completa, Obras e Prêmios da Escritora e Dramaturga Maria Adelaide Amaral acesse o Site 

10 Comentários:

Maria selma disse...

Oi amiga agradeço o carinho de sua visita e por seguir meu kantinho também,
convido para conhecer também chá da tarde,belo domingo,beijos

Dú Pirollo disse...

Olá mina querida amiga Alba!!!
Parabéns pela excelente e merecida homenagem a esta grande autora Maria Adelaide amaral, e pela bela peça que nos apresenta, adorei!!!
Lendo o texto parece que estamos vivendo o hoje, pois apesar do tempo temos fatos que ainda hoje são muito recentes, principalmente na parte da dificuldades de relacionamento dos seres humanos, neste quesito parece que não mudamos muito... ou pioramos um pouco...
Bela seleção minha amiga, o nome da peça e lindo!!!
Tenha um lindo e abençoado dia, recheado com muitas alegrias!!!
Beijos com muito afeto e carinho!!!

Beth Muniz disse...

Nossa!
Estou aplaudindo de pé!
Vi o vídeo completo. Confesso que o Ronnie Van me surpreendeu na apresentação.
Conhecida como a Dama de Ferro do teatro brasileiro e televisão brasileira, Maria Adelaide é realmente fantástica. Não sabia que ela é de origem portuguesa.
É também uma prova viva de que quando as crinças são estimuladas a conhecer as mais variadas formas de arte, carregam este genoma por toda a vida, independente das dificuldades financeiras.
Dona Neide fez isso comigo... Amo a minha mãe também por isto.
Esta sua série é simplesmente maravilhosa. Somos privilegiados por ter acesso a essas iniciativas, neste mundo virtual tão carente de bons conteúdos. Não vai aqui uma crítica aos demais. Mas como uma humilde adoradora das artes, me empolgo.
Obrigada querida.
Beijo.

Sissym disse...

Alba, gosto muito dela e me tornei definitivamente fã ao assistir A Casa das 7 Mulheres.

Aproveitei e passeei pelo site dela.

Beijos

Alba Simões disse...

Olá Maria Selma!
Obrigada pela presença e pelo seu convite!
Estarei acompanhando este seu outro espaço na web!
Beijos

Alba Simões disse...

Querido amigo Du Pirollo!
Obrigada por prestigiar, mais um artigo desta série sobre o teatro e a censura!
Realmente, amigo, os relacionamentos humanos sempre complicados...
Neste contexto a arte transcreve a vida!
Muito grata pela presença e comentário que agrega valor ao tema!
Beijos com carinho!

Alba Simões disse...

Querida Beth
Que bom que apreciou o texto escolhido para esta série!
Concordo plenamente que quanto mais cedo somos motivados a boa leitura,e ao contato com as artes e a cultura, estaremos mais preparados para enfrentarmos qualquer dificuldade e ostáculos!
Parabéns a D.Neide pela sapiência na educação dos filhos.
Pois você realmente é uma prova viva que a dedicação de sua mãe valeu apena!
É uma honra ter o seu apreço por este espaço!
Muito obrigada pelo incentivo e palavras motivadoras que sempre traz em seus belos comentários!
Beijos

Alba Simões disse...

Sissym
Realmente esta obra de Maria Adelaide Amaral, é excepcional!
Vale apena conhecer o Site da Autora!
Obrigada por prestigiar.
Beijos

Samanta Sammy disse...

Olá queridíssima amiga, demorei mais cheguei !!

E adorei vir visitá-la ! que postagem maravilhosa, fiquei encantada com o trabalho de Maria Adelaide, sou fã de todo tipo de Arte que se aprofunda no comportamento humano, ainda mais em questões humanas e sentimentais, onde podemos nos identificar com os conflitos e situações vividos.
Obrigada por me apresentar mais um pouco deste mundo maravilhoso que estou conhecendo contigo !

Um super beijooo marcial e que seu fim de semana seja ótimo !

Alba Simões disse...

Querida amiga Sam!
Receber estes elogios de você é uma grande honra!
Poucos valorizam a nossa arte e a nossa história!
O teatro realmente possibilita conhecer as várias facetas do comportamento humano!
Desde sua origem até os dias atuais!
Sinto-me lisonjeada de poder contribuir um pouco para suas pesquisas
Sobre o tema!
Muito obrigada pelo incentivo, amizade e presença!
Beijos marciais e um lindo domingo!

Postar um comentário

MyFreeCopyright.com Registered & Protected



 
▲ Voltar ao Topo