33

Um certo modo de ver

01/05/2011 .
Acho que foi o Hemingway quem disse que olhava cada coisa à sua volta como se a visse pela última vez. Pela última ou pela primeira vez? Pela primeira vez foi outro escritor quem disse. Essa idéia de olhar pela última vez tem algo de deprimente. Olhar de despedida, de quem não crê que a vida continua, não admira que o Hemingway tenha acabado como acabou.
Se eu morrer, morre comigo um certo modo de ver, disse o poeta. Um poeta é só isto: um certo modo de ver. O diabo é que, de tanto ver, a gente banaliza o olhar. Vê não-vendo. Experimente ver pela primeira vez o que você vê todo dia, sem ver. Parece fácil, mas não é. O que nos cerca, o que nos é familiar, já não desperta curiosidade. O campo visual da nossa rotina é como um vazio.
Você sai todo dia, por exemplo, pela mesma porta. Se alguém lhe perguntar o que é que você vê no seu caminho, você não sabe. De tanto ver, você não vê. Sei de um profissional que passou 32 anos a fio pelo mesmo hall do prédio do seu escritório. Lá estava sempre, pontualíssimo, o mesmo porteiro. Dava-lhe bom-dia e às vezes lhe passava um recado ou uma correspondência. Um dia o porteiro cometeu a descortesia de falecer.
Como era ele? Sua cara? Sua voz? Como se vestia? Não fazia a mínima idéia. Em 32 anos, nunca o viu. Para ser notado, o porteiro teve que morrer. Se um dia no seu lugar estivesse uma girafa, cumprindo o rito, pode ser também que ninguém desse por sua ausência. O hábito suja os olhos e lhes baixa a voltagem. Mas há sempre o que ver. Gente, coisas, bichos. E vemos? Não, não vemos.
Uma criança vê o que o adulto não vê. Tem olhos atentos e limpos para o espetáculo do mundo. O poeta é capaz de ver pela primeira vez o que, de fato, ninguém vê. Há pai que nunca viu o próprio filho. Marido que nunca viu a própria mulher, isso existe às pampas. Nossos olhos se gastam no dia-a-dia, opacos. É por aí que se instala no coração o monstro da indiferença.
Otto Lara Resende
Título Original:Vista cansada
Texto publicado no jornal “Folha de S. Paulo”, edição de 23 de fevereiro de 1992.

33 Comentários:

joselito bortolotto disse...

Por isso que é sempre bom a gente viajar. Muda a rotina, muda as perspectivas, e então conseguimos ver novos lugares verdadeiramente como se fosse a primeira vez ....e problema é aplicar esta tecnica no nosso dia a dia e enxergarmos aquilo que a rotina nos oculta.

Raimundo Lourenço disse...

Não enxergar o que nos cerca, mais do que "vista cansada", é prova de insensibilidade. Que falta faz um olhar! Ele pode mudar a vida de quem ver, e de quem é visto.
Abraços!

José S. Pereira disse...

Belo texto, Alba.

Confesso que sou um apreciador do "caminho da roça". Sou muito distraído para relógios e horários. Então, ando olhando tudo e todos, sem pressa. Descobrindo desde novos buracos na calçada até o fechamento da Tenda Espiritual Baiano Zé do Côco. "E pra onde ele foi? Por que não deu certo?" Vixi, eu viajo nessas histórias embutidas no meu dia a dia. E no dia a dia que de outros com quem esbarro pelo caminho.

Mas, claro. Algumas vezes, devem passar preciosidades, que nem noto por estar com olhos e pensamentos em outro lugar.

Abraços

Beth Muniz disse...

Querida Alba,
Belo texto do Otto.
Realmente o olhar e não vê é uma morte lenta que nem sempre
compreendemos o avistamos. E a rotina da retina é fatal.
Fácil não é. Mas devemos procurar ver sempre com os olhos entrelaçados, e tentar olhar sempre para dentro e fora das coisas e pessoas. O que conseguirmos enxergar, por menor que seja, já terá valido a pena.
Um beijão.

Fatima Zanin disse...

Amiga Alba, acontece com muitos, não percebemos as coisa boas que temos por perto e estamos todo dia em contato, seja pessoas, a vida em fim, é bom parar e prestar mais atenção vale a pena.Gostei do texto.
Beijo.

Guria Faceira disse...

ola minha rica flor Alba
me diz uma tem problema se observar a tudo
mas nunca comentar seu ponto de vista???
bem oso do tipo q observo aprecio a tudo
meus olhos estaum sempre atento
apenas o coração q as vezes é bobo
e deixa passar pessoas importantes
sem seres percebidas

bjim minha rica flor Alba

Palavras & Histórias disse...

A vida muda de cor de acordo com o nosso olhar. É feito o rio que atravessa debaixo da ponte, nunca será o mesmo. Então, é melhor ter olhos, mente e coração pra apreciar, ou então, simplesmente, descansar no arco-íris....

Mi reabilite disse...

Por isso, é tão importante sair da rotina, para voltar a ela, ou não, com novo olhar, novos ares! Gostei do artigo e do convite!

Bjoss
Michele

mundo virtual disse...

Olá querida amiga Alba!!
Eu como bom observador que sou,estou sempre vendo algo de diferente,seja observando as pessoas,moda,beleza,olhar das pessoas,a maioria parecem estar olhando para o nada é muito estranho mas tudo chama a atenção é dificílimo estar totalmente desligado mesmo seguindo o mesmo caminho todos dias,a famosa rotina,mas encerrando,cada um enxerga o mundo a sua maneira,até onde quer ver,uns fecham os olhos para o mundo,outros procuram ver além do que estão vendo,procurar apreciar,admirar,entender e decifrar a imagem diante de seus olhos!!
abraços!!

Sissym disse...

Alba, verdade... muitas pessoas nunca notaram outras, seja dentro da família, seja fora. Muitas pessoas caminham pelas mesmas ruas sem notarem nenhuma diferença. Eu aprendi a ver. Eu sou uma curiosa nata. Eu sempre estou a procura e sempre sou grata a Deus por poder contemplar aquilo que meus olhos podem ver e chegar dentro de mim, seja belo, seja feio.

Beijos

Bruno Costa disse...

Conseguir enxergar além do aparente é bem difícil, mas a experiência vale muito a pena.

luciana disse...

Querida Alba, bom dia!!!

Ver e enxergar... seriam a mesma coisa?? Para mim enxergar está um pouco além de simplesmente ver... enxergar é observar mais detalhadamente e absorver as coisas da forma como são ou mesmo como nos convem...devemos prestar mais atenção à tudo ao nosso redor e sempre dar uma chance de ver e enxergar melhor...

Ótima postagem, obrigada por compartilhar!!
Bjs
Lu

Jackie Freitas disse...

Olá minha querida amiga!
Um dia tive vontade de escrever sobre isso e pensava justamente na vida apreciada em seus detalhes, por mais banais que pareçam, como se fosse a última vez que estivéssemos vendo ou vivendo... Falando novamente dos paradoxos...rsrs..é incrível como, nesse processo, podemos fazer isso pela primeira vez, como se fosse a última chance... Não sabemos o dia de amanhã (graças a Deus!), mas temos total responsabilidade com o hoje e esse presente que nos mostra tanto, porém enxergamos tão pouco!
Acho que o segredo, talvez, seja não ter pressa... Viver um dia por vez, mesmo que não haja certeza se virão outros, mas fazer de cada dia um novo dia, um novo olhar, uma nova vida... Se for o último, que seja, pelo menos, o melhor de todos!
Grande beijo e parabéns pelo lindo texto selecionado!
Jackie

Ankhmaya disse...

A frase que conheço de Hemingway é: "Durante toda a minha vida, olhei para as palavras como se fossem vistas pela primeira vez".

Mas, se realmente ele escrever o que você citou, tenho que concordar com ele. De certa forma, ele está correto em seu modo pessimista de ver as coisas. Vendo-as pela última vez é saber que a vida é passageira, e que aquele momento pode nunca mais acontecer. É como um soldado que vai para o front e olha sua amada ela última vez; seu olhar pode demonstar, em questão de segundos, todos os medos e paixões que sente pela amada.

Olhar como se fosse pela primeira vez é olhar com olhos de paixão, de euforia, de animação, deixando muitos detalhes de lado. Porém, olhar como se fosse a última, você busca guardar cada detalhe do objeto que, possivelmente, não irá mais ver.

Beijos
www.folhetimonline.com.br

Arte e Café disse...

Grande JB.
Exatamente, se enxergamos um dia qualquer como rotina,deixaremos de ver muitas coisas.
A técnica então seria: Observar e sentir além desta rotina.
Obrigada amigo!
Beijos

Arte e Café disse...

Olá amigo Raimundo.
Concordo com seu sábio argumento.
Não basta olhar por fora, com a alma as vezes totalmente cega!
Obrigada pela presença e brilhante comentário.
Grande abraço!

Arte e Café disse...

Olá amigo José Sidney.
Estas distrações que você citou, são até benéficas.
Também aprecio este " caminho da roça "!
Afinal, não somos perfeitos em ficarmos 24 hs por dia ligados.
A única questão é que as vezes estamos acordados,mas anestesiados por aquilo que julgamos rotineiro.
Mas nem todos são assim!
Obrigada pela presença e comentário!
Grande abraço

Arte e Café disse...

Olá Beth.
De dentro pra fora, e de fora pra dentro.
Por todos os ângulos que noss alma permitir!
Obrigada pelo comentário querida!
Beijos

Arte e Café disse...

Querida amiga Fátima.
Nesta correria diária, muitas vezes é díficil pararmos para observar, analisar refletir...
Acredito que perdemos várias oportunidades, por não mudarmos nossos hábitos rotineiros!
Agradeço sua participação e valoroso comentário.
Beijos

Arte e Café disse...

Minha querida Flor Juci.
Acho que o nosso ponto de vista
também faz parte deste processo.
Mas muitas vezes deixamos passar.
Será que Freud explica?
O seu coração não é bobo não, ele é lindo!
Beijos Flor

Arte e Café disse...

Querida Valéria
Que lindo isto!
Descansar no arco-íris!
Só poderia vir de você, este grande pensamento.
Adorei!!!
Beijos

Arte e Café disse...

Olá Michele
É a pura sensibilidade dos poetas.
Obrigada querida!
Beijos

Arte e Café disse...

Olá querido amigo do Sul.
Eu também muitas vezes me deparo com estes olhares para o nada!
Principalmente idosos e crianças desprezadas!
Há muitas coisas ao nosso redor.
Belezas, tristezas, dúvidas.
E me pergunto: Será que isto tudo é apenas a rotina?
Não sei meu amigo, sempre digo estou aqui para aprender.
Entre erros e acertos, tento lapidar minha visão e meu coração!
Obrigada pela presença e excelente comentário.
Grande abraço

Arte e Café disse...

Querida Sissym.
Esté é o grande privilégio da vida!
Agradecer.
Coisa que poucos se lembram!
Obrigada pela presença e comentário!
Beijos

Arte e Café disse...

Olá Bruno.
Falou pouco, mais disse uma grande verdade!
Obrigada pela presença e comentário!
Grande abraço

Arte e Café disse...

Querida Luciana
Se nos dermos esta chance, que você sabiamente colocou,acredito que aprenderiamos mais a dicernir a diferença entre: Ver e enxergar!
Eu é que agradeço sua presença e maravilhoso comentário!
Beijos

Arte e Café disse...

Querida amiga Jackie.
Acredite, que realmente pensei muito em seu ponto de vista neste artigo!
Pois falar sobre os nosssos paradoxos, não é nada fácil.
Então espero ler um texto de sua autoria, sobre este assunto, que tal?
Sabe que adoro seu modo de ver e descrever as entrelinhas desta nossa vida!
Obrigada querida, pelo carinho, amizade e presença de sempre!
Beijos

Arte e Café disse...

Olá Ankhmaya
Não fui eu quem disse este pensamento de Hemingway.
Foi descrito pelo escritor Otto Lara Resende.
Concordo com o seu modo de pensar, não pelo lado pessimista.
Mais como uma grande percepção da nossa realidade!
Muito obrigada por expressar valorosa opinião!
Grande abraço.

Valéria Braz disse...

Oi minha ídola...heheh.... eu adoro este testo, sempre utilizei para minhas reuniões de desenvolvimento pessoal. Banalizamos o olhar sim, deixando de enxergar... vemos mas não enxergamos.
Nas reuniões eu sempre proponho que as pessoas pegam papel e lápis e escrevam o que lembram do trajeto de casa ao trabalho, feito isto, peço que no dia seguinte observem este trajeto descrito e ao chegarem coloquem no papel o qeu viram.... e depois colocamos os dois papíes lado a lado. Como o primeiro é pobre em detalhes em relação ao segundo.....
Mas o que mais chama a atenção é ver como as pessoas ficam encantadas e assustados em como são capazes de ver e não enxergar....
Beijo no coração

Samanta disse...

OLáá minha queridíssim amiga !!!

Ufaaa, cheguei !!!
Mas prefiro esperar ter um tempo livre e a cabeça fresca para apreciar e VER com todo carinho suas postagens !!
Afinal, como diz no texto, eu poderia vir aqui, ler sem ver realmente, sem me deixar emocionar, sem prestar atenção e isso seria terrível, porque os momentos devem ser degustados com dedicação e atenção.
Eu passei muitos anos olhando para a maioria das coisas sem ver...sem me envolver... sabe o que me abriu os olhos do coração ? Um dia quando uma médica me pediu um exame que poderia ter um diagnóstico muito ruim... infelizmente, muitos de nós só acorda para realmente apreciar a beleza que lhe cerca em momentos de dor ou de possibilidade da morte. E acabamos olhando com olhos de última vez...
Por isso seria bom se acordássemos sem precisar de nenhum trágico acontecimento... Vamos fazer este exercício diariamente, olhar com olhos atentos, com a percepção pura das crianças, sem dúvidas a vida ficará ainda mais bela !!

Lindo mesmo, obrigada por compartilhar !!
beijosss marciais !!!

Arte e Café disse...

Querida Poetisa Valéria
Então você percebe como funcionam estes sentidos na prática!
Fiquei muito feliz com sua presença e maravilhoso comentário!
Obrigada querida
Beijos no Core

Arte e Café disse...

Querida amiga Sam
Nossa que realato emocionante e belo exemplo você citou.
Concordo plenamente que se tivermos as percepções pura das crianças, seremos mais felizes
e a vida mais leve e bela.
Obrigada pelo carinho e amizade de sempre!
Beijos marciais

ROSA LUNA disse...

verdade, esse texto diz tudo, muitas vezes, olhamos sem ver...na pressa perdemos coisas importantes, acontece também com o tempo, tem semanas que passamos esperando o sabado ou domingo, quando chega a segunda de manhã é que percebemos que simplesmentes passamos o fim de semana... beijos querida, muito fofo seu espaço, uma ótima semana !

Postar um comentário

MyFreeCopyright.com Registered & Protected



 
▲ Voltar ao Topo