9

É impróprio ser famoso

16/11/2010 .
"Marilyn Monroe" Imagem: Google

É impróprio ser famoso
pois não é isso que eleva.
E não vale a pena ter arquivos
nem perder tempo com manuscritos velhos.

O caminho da criação é a entrega total
e não fazer barulho ou ter sucesso.
Infelizmente, nada significa
como uma alegoria andar de boca em boca.

Mas é preciso viver sem pretensões,
viver de tal modo que no fim de contas
venha até nós um amor ideal
e ouçamos o apelo dos anos que hão-de vir.

O que é preciso rever
é o destino, não antigos papéis;
lugares e capítulos de uma vida inteira
anotar ou emendar.

E mergulhar no anonimato,
e ocultar nele os nossos passos,
como foge a paisagem na neblina
em plena escuridão.

Que outros nesse rasto vivo
seguirão o teu caminho passo a passo,
mas tu próprio não deves distinguir
a derrota da vitória.

E não deves por um só instante
recuar ou trair o que tu és,
mas estar vivo, e só vivo,
e só vivo - até ao fim.
Boris Pasternak
Poeta, romancista e filosofo judeu-russo, ganhador do premio Nobel de Literatura em 1958, impedido, pelo regime de seu pais, de receber o premio, viveu em precária situação até seu falecimento em 1960.Seu romance Doutor Jivago, deu-lhe reconhecimento popular a nível mundial.
( Tradução de Manuel de Seabra )

9 Comentários:

CLAUDIA disse...

Olá querida!
Nossa lindo,muito lindo!
Eu sempre digo para meu marido,por mais que algumas pessoas achem que sou carinhosa demais, jamais irei trair ou deixar de ser o que sou!
Amei,meu coração encheu de emoção!
Muito Obrigado por nos oferecer este lindo poema nessa manhã!
Eternos bjos em seu coração querida!

Principe Encantado disse...

Muito bonito e verdadeiro, somos artistas neste palco da vida, e por muitas vezes as interpretações são dolorosas que parece que deixamos de ser nós mesmos.
Abraços forte

joselito bortolotto disse...

Bem, por isso que quero continuar no anonimato. Sem essa de fama .... rsrsr

Fatima Zanin disse...

Que lindo seu texto, o que vale a pena é ser nós mesmos,sem querer sempre aparentar o que não somos, ninguém pode ser feliz dessa maneira.
Beijo

Pithan Pilchas disse...

Buenas Alba,

muito bom o texto...somos personagens de nossas próprias vidas, tentando interpretá-la da melhor forma possível.

abraço

Paulo

Aldo Cioffi disse...

Qualquer elogio seria pouco, o texto é lindo!!!

www.aldo-cioffi.blogspot.com

Beth Muniz disse...

Oi querida,
Lindo texto de alguém que escreveu um lindo romance.É como sempre digo: Se a arte é construída com arte (rsrsrsrs), torna-se eterna.
Me deu vontade de rever o filme.
Amei.
Beijão.

Histórias & Estórias disse...

Dentre todo o poema, a parte que diz da necessidade de rever o destino e não os antigos papéis é de uma sensibilidade fantástica. Digo isto porque de nada me adianta ser "grande" se ainda me apego ao pequeno. Nada sou de novo, se ainda sou o que eu sempre fui.

Postar um comentário

MyFreeCopyright.com Registered & Protected



 
▲ Voltar ao Topo