13

Canção Das Mulheres - Lya Luft

22/07/2010 .
CANÇÃO DAS MULHERES Que o outro saiba quando estou com medo, e me tome nos braços sem fazer perguntas demais. 
Que o outro note quando preciso de silêncio e não vá embora batendo a porta, mas entenda que não o amarei menos porque estou quieta. 
Que o outro aceite que me preocupo com ele e não se irrite com minha solicitude, e se ela for excessiva saiba me dizer isso com delicadeza ou bom humor. 
Que o outro perceba minha fragilidade e não ria de mim, nem se aproveite disso. 
Que se eu faço uma bobagem o outro goste um pouco mais de mim, porque também preciso poder fazer tolices tantas vezes. 
Que se estou apenas cansada o outro não pense logo que estou nervosa, ou doente, ou agressiva, nem diga que reclamo demais. 
Que o outro sinta quanto me dói a idéia da perda, e ouse ficar comigo um pouco - em lugar de voltar logo à sua vida, não porque está lá a sua verdade  mas talvez seu medo e sua culpa.
Que se começo a chorar sem motivo depois de um dia daqueles, o outro não desconfie logo que é culpa dele, ou que não o amo mais.
Que se estou numa fase ruim o outro seja meu cúmplice, mas sem fazer alarde nem dizendo "Olha que estou tendo paciência com você!"
Que se me entusiasmo por alguma coisa o outro não a diminua, nem me chame de ingênua, nem queira fechar essa porta necessária que se abre para mim, por mais tola que lhe pareça.
Que quando sem querer eu digo uma coisa bem inadequada diante de mais pessoas, o outro não em exponha nem me ridicularize.
Que quando levanto de madrugada e ando pela casa, o outro não venha logo atrás de mim reclamando: "mas que chateação essa sua mania, volta pra cama!"
Que se eu peço um segundo drinque no restaurante o outro não comente logo: "Pôxa,mais um?"
Que se eu eventualmente perco a paciência, perco a graça e perco a compustura, o outro ainda assim me ache linda e me admire.
Que o outro - filho, amigo, amante, marido - não me considere sempre disponível, sempre necessariamente compreensiva, mas me aceite quando não estou podendo ser nada disso.
Que, finalmente, o outro entenda que mesmo se às vezes me esforço, não sou, nem devo ser, a mulher - maravilha, mas apenas uma pessoa: vulnerável e forte, incapaz e gloriosa, assustada e audaciosa - uma mulher.
Créditos
Autoria : Lya Luft
Livro: Pensar é Transgredir
7º Edição
Editora Record
ARTE E CAFÈ

13 Comentários:

Principe Encantado disse...

Muito lindo o texto, uma bela homenagem a essas maravilhosas criaturas.
Abraços forte

jotapeh9907 disse...

Lya Luft é uma grande escritora e caprichou nesta merecida homenagem à criatura mais bela da face da terra

Vera disse...

Bom dia!!
Como é bom a leitura positiva que nos induz em aceitar o ser humano simplesmente como é, e tão difícil é esta arte de aceitar, de entender, de falar quando preciso e calar quando essencial, minha nossa, precisamos mesmo é viver e nos permitir aprender esta existência sem tantas cobranças e com mais cooperação, nos permitindo a conduzirmos à compreensão! E que Deus possa nos contemplar com este aprendizado que eu creio, tão almejado! Parabéns pela escolha em tocar a nossa Alma!

Um abraço,
"Todo o Conhecimento é Luz que Inspira a Alma" -*Vera Luz*-

LISON disse...

Saudações!
Amiga ALBA:
A composição do teclado universal desse mundo fascinante das mulheres o que era para ser uma Canção, na verdade é um Hino de redenção que nos remete a refletir e contar até dez qualquer atitude. A extrema compreensão e sensatez devem nortear todas as nossas ações.
Salve a todas as mulheres!
Que Deus continue a derramar bênçãos de amor em todas mães do mundo!
Parabéns por mais um excelente Post!
Abraços,
LISON.

Sissym disse...

Eu sou fã da Lya Luft, uma mente brilhante que escreve com sabedoria e sensibilidade.

CLAUDIA disse...

Olá querida Alba,
Maravilhoso!
Querida que possamos amar e ser amados pelo que somos e não pelo que podemos ser ou oferecer,apenas ser nós mesmos sem máscaras,mostrando a beleza e as fraquezas de um ser que caminha e que semeia, Que erra,mas que acerta! Somos humanos e nem por isso deixamos de ser apaixonantes!
Trilhões de parabéns querida amiga!
Que seu espaço continue esse cantinho de aconchego que sentimos!
Bjos no seu coração amiga!

Pithan Pilchas disse...

Buenas Alba,

a Lya tem um maravilhoso dom e não se furta na hora de expó-lo. Uma grande demonstração de como transformar cenas cotidianas em arte e poesia.

Bju

Paulo

Jackie Freitas disse...

Olá Alba querida!
Minha amiga, os textos da Lya Luft são maravilhosos e captam essa essência feminina com tanta delicadeza e ao mesmo tempo força de maneira incrível! Sábias palavras e seria bom que não apenas os homens, mas as pessoas de um modo geral compreendessem que todos somos humanos, passíveis a erros, com falhas imensas, mas cheios de riquezas.
Adorei! Maravilhosa postagem, minha amiga!
Grande beijo,
Jackie

Fatima Zanin disse...

Muito lindo o texto, bela homenagem as mulheres, adoro Lya luft.
Beijo.

vidarealdasam disse...

Olá queridíssima Alba !!!!

Simplesmente me apaixonei por este texto !!
Traduz perfeitamente o que vai na nossa Alma, que lindo !!
Obrigada por compartilhar esta maravilha !
Um beijo enormeeee !!! :)

mundo virtual disse...

Uma linda homenagem com um belo texto,profundo e com sabias palavras que nos faz refletir e procurar entender o ser lindo e maravilhoso que devemos admirar pela sua capacidade de amar,trabalhar e cuidar de sua familia,"a mulher."
ótimo post!!
abçs!!!

Dieguito disse...

Alba
Fui lendo esse texto impressionante, e quando chego no final que vejo o nome da autora, pensei "Tinha que ser a Lya Luft mesmo"
ahahaha
abs

Beth Muniz disse...

Oi querida Alba,
Que maravilha de texto.
Que possamos viver como um ser indivisível e ao mesmo tempo completo, e em toda a nossa plenitude, que nos faz peculiar.
Grande beijo.

Postar um comentário

MyFreeCopyright.com Registered & Protected



 
▲ Voltar ao Topo