2

Curva de ilusões

25/06/2010 .
Uma bomba ao longe explode.
O grito do louco, o amor que é pouco.
O metal que engana, na busca da  fama.
O pulsar da vida na contra corrente.
Alguém  sente.
Desperdício é viver por apenas viver.
Refúgio é no ventre da terra.
Quem espera, quem espera ?
Almas algemadas em preconceitos,
Subterfúgio dos olhos vendados.
Não quero permanecer nesta curva das ilusões sem horizontes.
Não arrastarei as cruzes,
nem serei protagonista da cinematografia dos mitos.
A cera derrete e eu escrevo.
Nada é para mim, nem para ti.
Quero apenas sonhar e adormecer impune!
 Alba Simões

2 Comentários:

Jucifer disse...

nossa poema forte!
Almas algemadas em preconceitos,
Subterfúgio dos olhos vendados.
Não quero permanecer nesta curva das ilusões sem horizontes
lindo
nem eu quero!
bjo grande

Beth Muniz disse...

"O refúgio é no ventre da terra..."
Simplesmente maravilhoso!
Parabéns querida.
Grande abraço.

Postar um comentário

MyFreeCopyright.com Registered & Protected



 
▲ Voltar ao Topo